Adoção Brasil | Gerando amor

Significado de adotivo

Adotivo – adj (adotar+ivo) 1 Que foi adotado: Filho adotivo. 2 Que adotou: Pai adotivo

<a href="http://goo.gl/SAk2uO" target="_blank"><strong>COMPRE AGORA!</strong></a>

As camisetas do Vem Treinar, são para o uso casual e a prática de esportes. Nossas camisetas possuem estampas exclusivas e limitadas.
COMPRE AGORA!

Infelizmente, com o passar dos anos esta palavra tornou-se algo ruim.

Para exemplificar o atual significado desta palavra, seguem duas chamadas de notícias:

  • Filho adotivo é suspeito de assassinar dono do…
  • Filho adotivo mata pai com tiro no pescoço…

As manchetes acima, poderiam muito bem ter o seguinte enunciado:

  • Filho é suspeito de assassinar dono do…
  • Filho mata pai com tiro no pescoço…

Quantos filhos biológicos não comentem os mesmos crimes? Alguém já leu alguma notícia com a seguinte chamada:

  • Filho biológico mata pai com tiro no pescoço…

Outro exemplo é a seguinte frase (uma criança dizendo para outra):

  • Você é adotado, foi achado no lixo…
  • Você deve ser filho adotivo…

Neste caso a culpa é nossa (sociedade), de permitir que utilizem a palavra adotivo com esta conotação negativa, pois nestas notícias, fazem questão de sublinhar a palavra adotivo, sendo que o real conteúdo é um crime ou qualquer outro motivo.

Afinal de contas, todos os filhos são adotivos. CALMA!!! Vou explicar o motivo desta afirmação.

…Todos os filhos são biológicos e todos os filhos são adotivos. Biológicos, porque essa é a única maneira de existirmos concreta e objetivamente; adotivos, porque é a única forma de sermos verdadeiramente filhos… (trecho do texto de Luiz Schettini Filho)”

por Wagner Yamuto

E assim foi, para a vida inteira!

E você, gostaria de compartilhar sua história conosco?

É bem simples! Basta enviar sua história para nosso WhatsApp (11) 96479-4705 (texto, vídeo ou áudio). Contamos com sua ajuda 🙂

Por: Detinha

Fui adotada aos 8 meses e hoje meus pais já são falecidos.

O que eu quero falar é sobre como contar para a criança que ela é adotada.

Minha mãe era analfabeta e foi muito simples a maneira como ela me contou.

Eu na verdade tinha uns 4 anos, mas percebia que era diferente do resto da família.

Um dia minha mãe me chamou cedinho para “conversar”.

O que ela disse eu nunca esqueci. Foi assim:

– O que eu vou te falar hoje, por mim eu não falaria nunca, porque não tem a menor importância, mas todos dizem que eu tenho que falar, e também para que, um dia, se você descobrir, não dizer que eu te enganei. Você não nasceu da minha barriga, mas sim da barriga de outra pessoa, mas você é minha filha.

Me lembro que eu quis chorar e ela disse:

– Por que você vai chorar?

E eu disse:

– Eu queria ser sua filha de verdade

Ela disse:

– Você é minha filha de verdade, e se algum dia, alguém te disser que não é, você manda vir falar comigo! E se esse assunto te deixou triste, nós nunca mais precisamos tocar nele!

E assim foi, para a vida inteira!

Do erro ao acerto

E você, gostaria de compartilhar sua história conosco?

É bem simples! Basta enviar sua história para nosso WhatsApp (11) 96479-4705 (texto, vídeo ou áudio). Contamos com sua ajuda 🙂

Por: Iago F. Abreu

Eu já fui o seu maior erro

Um erro em pessoa

Nada foi planejado, mas tudo daqui para a frente estava perdido

Afinal, o que você faria comigo?

E num piscar de olhos tudo aconteceu

Seu erro nasceu

Um erro cheio de problemas

Um erro que precisava de cuidados

E talvez esse tenha sido um dos principais motivos

Para que tudo tenha se desandado

A partir dali eu já era um pequeno fruto de um erro

Um erro que ficou no passado

Um erro que de boca em boca foi informado

Acabando por chegar em uma grande pessoa

Que fez daquele erro a sua própria escolha

Nada foi planejado, mas tudo daqui para a frente estava a ser aguardado

Afinal, essa pessoa foi um gênio

Que fez que um erro alheio

Se transformasse em um filho por inteiro

A caçulinha que virou primogênita

E você, gostaria de compartilhar sua história conosco?

É bem simples! Basta enviar sua história para nosso WhatsApp (11) 96479-4705 (texto, vídeo ou áudio). Contamos com sua ajuda 🙂

Por: Mamãe

Eu e o meu esposo sempre planejamos uma adoção, era um plano para quando já tivéssemos nossos filhos biológicos. Adoraríamos ter o caçulinha da família!

Porém os planos não são bem como planejamos. Com a dificuldade de engravidarmos demos entrada na adoção, então de caçulinha seria o primogênito!

O nosso perfil de começo era menina de até 5 anos. Passados dois anos mudamos para ambos os sexos.

Nós não colocamos muitas restrições, e além disso escolhemos dois estados próximos de São Paulo.

Quando via as notícias sobre a adoção eu passava raiva, pois já faziam 4 anos que estava habilitada esperando o telefone tocar. Me revoltava ver que tem muitas crianças esperando por adoção e nós lá na fila esperando por uma destas crianças, e com o perfil sem muitas restrições.

Infelizmente as minhas conclusões é que os processos de destituição familiar precisa de mais agilidade para estas crianças não passarem tanto tempo esperando que resolvam seu futuro familiar.

Enfim depois de quatro anos quase cinco um telefonema muda a minha vida!!!

Em 24 horas quem não tinha uma fralda na casa, aparece um monte de coisinhas de bebê, em 13 horas um chá de bebê é organizado pelas as amigas, e detalhe foi um chá de bebê com o bebê presente. rsrsrs

Em 24 horas me torno mãe de uma linda menina de 9 meses!!!

Sim ela é de cor branca, bebê e saudável, ou seja o perfil mais procurado, mas não foi exigência minha foi Deus que quis assim. Independente de como ela é ou poderia ser, o que eu queria era uma criança para chamar de filho(a).

Pelo o raciocínio realista é a burocracia destes processos que fazem com que famílias ansiosas para se completarem demorem para que se realizem.

Falando pela a emoção, para tudo tem o seu tempo, a minha filha teve que esperar 9 meses para ter uma família que a ama, e eu tive que esperar quatro anos porque ela ainda não estava pronta para que eu pudesse recebê-la de Deus!!!

E você, fala sobre adoção?

Por: Grazy Yamuto

Olá pessoal, tudo bem?

Quero falar com vocês, sobre o PRÉ-CONCEITO que existe sobre tudo que envolva adoção, desde a falta de informações e de conhecimento sobre todo o processo até os vários questionamentos que ouvimos:

– E os pais verdadeiros?

– Vocês vão criar filhos dos outros?

– Como vocês conseguem amar?

– entre outras

Já ouvi algumas delas e lemos relatos de perguntas que me embrulham o estômago e me faz querer perder toda a educação que meus pais me deram. Mas a jornada da adoção me ensinou tantas coisas, a primeira delas é que este foi apenas o caminho que tivemos que percorrer ao encontro de nosso filho e agora de nossa filha, que a barriga são 9 meses e meus filhos serão para sempre, não somos menos nem mais pais por isso e faria tudo novamente por eles!

Parece clichê o que vou falar, mas acredito que o preconceito se combata com informação e nós (pais e futuros pais através da adoção) que temos essas informações, conhecimento e experiências devemos falar, compartilhar tudo que sabemos com as pessoas que amamos, amigos, sempre que tivermos oportunidades. A mudança de comportamento e postura deve começar por nós, toda nossa família e amigos próximos sabem cada etapa do processo e sempre que perguntam algo tenho o maior prazer em responder e já aconteceu deles orientarem e conversarem com outras pessoas por conhecerem o assunto, fico tão feliz quando isso acontece porque vira o efeito dominó (um fala para o outro, que fala para outro).

Sempre tivemos apoio de todos (família e amigos) e meu filho é muito amado, sei que o preconceito existe e infelizmente sempre existirá, que passaremos por situações desagradáveis e desconfortantes, mas devemos fazer o que esteja ao nosso alcance, que muitas vezes depois de falarmos, podemos fazer que de alguma forma as pessoas reflitam e tenham um novo olhar sobre o assunto e se mesmo assim elas não compreenderem nossa decisão e amor, terão ao menos que respeitar a nós e principalmente ao nossos filhos.

E quanto as perguntas, respiro fundo, penso na educação que meus pais me deram e respondo por meu filho: os pais verdadeiros estão aqui na sua frente, vou amar, criar e educar MEU filho, o amo incondicionalmente e mais que cabe dentro de mim, o defendo e sempre o defenderei como leoa!

E você, fala sobre adoção?