Como lidar com as birras das crianças

Como lidar com as birras das crianças

De repente, aquele bebê que parecia tão quieto e tranquilo alguns meses atrás, grita, se joga no chão e provoca os mais diferentes sentimentos em você, da vergonha à raiva, passando pela vontade de rir. Lidar com a birra não é fácil, mas é inevitável. Veja como facilitar esse momento e conheça estratégias para conseguir evitar o show

Dra. Flavia Oliveira pediatra da Clinica MedPrimus São Paula explica que a birra nada mais é do que a manifestação de uma frustação. Na falta de ferramentas mais potentes, como a fala, por exemplo, a criança pequena frente a uma situação na qual tem um desejo que não está sendo atendido, usa do choro e a agitação corporal para tentar fazer prevalecer sua vontade.

Por volta dos 18 meses, à criança ainda está em processo de ampliação do vocabulário e não consegue expressar exatamente seus desejos. Porém, a linguagem compreensiva é muito mais apurada, ou seja, ela entende, mas não se faz entender. Se os pais cedem a uma crise de birra, e isso se torna constante, a criança entende que é desta maneira que se resolvem os problemas. “Então, pronto, está sendo moldado um padrão de comportamento, e com o passar da idade a tendência é piorar. A birra ocorre normalmente por caprichos não satisfeitos, sendo difícil ver uma birra caso a mãe dissesse “ok”, sem jantar hoje, vamos comer só bolo de chocolate.” Completa Dra.Flavia.

Para ser educativo, a criança precisa entender a relação entre o que fez e a consequência. A punição deve acontecer no mesmo momento, pois as crianças têm uma visão imediatista: ainda não aprenderam a pensar a longo prazo. Ou seja, depois de algum tempo, não sabem por que estão sendo castigados, esqueceram da birra e da importância que demos a ela. “Ninguém é 100 % o tempo todo, mas sempre digo que educar uma criança é uma missão de vida. Assim, podemos deslizar em alguns momentos, mas isso dever ser pontual.” Finaliza a pediatra.

Sobre Dra. Flavia Oliveira Pediatra

Pediatria e Neonatologia
Graduada em medicina pela Faculdade de Medicina da Fundação ABC – FMABC
Residência médica em Pediatria Geral pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – USP
Título de especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria – SBP Residência médica em Neonatologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – USP
Título de especialista em Neonatologia pela Sociedade Brasileira de Pediatria – SBP Pós-graduação em Perinatologia pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Albert Einstein – HIAE

Créditos:

Dra. Flavia Oliveira pediatra da Clinica MedPrimus
Clínica MEDPRIMUS
www.medprimus.com.br

Sobre o Autor

Equipe Adocao Brasil administrator

Deixe uma resposta